O Caminho da Santificação

A santificação é o processo de transformação dos servos de Deus que acontece desde sua conversão e se encerra somente com sua morte ou com o encontro com Senhor. Nesse segundo caso com no arrebatamento da igreja. 1Co 15:52

O Texto que estudaremos hoje trata de um conselho aos judeus convertidos a Cristo, que observem nele algumas atitudes que devemos seguir também em nosso relacionamento com Deus.

  1. Se sujeitar v.5-7a – Parece uma palavra forte, mas reflete exatamente a atitude que muitas vezes temos de tomar diante do orgulho que nos rodeia de se submeter a alguém. Ora, se Cristo de submeteu a abrir mão de toda a sua glória durante 33 anos de vida. Por que temos tanta dificuldade de nos submeter às pessoas? Talvez essa seria uma boa forma de sermos mais humildes diante de um mundo cheio de pessoas que dificilmente reconhecem erros. Defeitos e posições podem e devem ser revistas, afinal somente Deus tem uma palavra final para todas as coisas, pois ele é perfeito, nós não. Aprender a perder, voltar atrás, pedir perdão, são atitudes que devem acompanhar o cristão no processo de santificação.
  2. Suportar humilhação vs. 7b-11 – O Texto fala de um Cristo que suportou a humilhação mesmo sem merecer. Sua humilhação era única forma de salvar a humanidade já condenada pelo pecado de Adão. O Sacrifício só seria perfeito se um homem perfeito, tomasse o lugar e morresse nossa morte e que ao ressuscitar pagaria completamente o preço alto de nosso pecado. Ora se nosso mestre suportou tamanha humilhação de se tornar como um de nós com as mesmas necessidades físicas e emocionais? Por que não nos achamos dignos de certas humilhações que passamos durante a vida como se não merecêssemos? Suportar humilhação justa ou injustamente também faz parte da morte de nosso eu. Cristo mesmo diante da fragilidade em seu estado humano agiu sem se envergonhar de seus novos e “fracos” irmãos humanos. vs.11.
  3. Vivenciar o reino de Deus – Sabendo de todo o sacrifício de Cristo por nós para nos salvar. Não podemos mais olhar para a vida sob nossa ótica. Temos que viver nessa terra com essa esperança e certeza em nosso coração. Não importa a humilhação, perdas ou lutas que passarmos nessa terra temos que crer que o pior Cristo já enfrentou em nosso lugar. Cabe a nós proclamar sua vinda, confiar em suas promessas e ser livre para adorar sem medo, pois sua promessa no verso 18 é de nos socorrer quando formos tentados além de nossa força.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 26.11 – PIB Tabapuá – TB Hb 2:5-18 NVI

A importância de servir a Deus com zelo

1 Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas. 2 Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, 3 Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; 4 Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade? Hb 2:1-4

As provas incontestáveis dos acontecimentos descritos na palavra de Deus nos coloca em situação de tudo ou nada.
A displicência nos leva a falhar. O que acontece quando somos displicentes no trabalho, na vida financeira, na criação dos filhos, nos relacionamentos: amizades, casamento, e no trânsito, por exemplo pode ser fatal. Pois bem o autor da carta nos recomenda: Ou levamos a sério aquilo que cremos ou iremos nos afastar. A leitura diária da bíblia e uma vida oração é o básico para evitarmos a displicência. Quando fazemos isso nosso coração começa a ser tratado em áreas que somos vulneráveis. Vs. 1
Para ter zelo na fé que professamos temos que observar alguns pontos importantes:
1. Aquilo que Deus falou através dos anjos se cumpriu na íntegra. Vs. 2
Como vimos no capítulo 1 Deus falou de diversas formas através dos anjos e de seus
representantes: Anjos e Profetas. Pessoas morreram, Reis foram empossados e destituídos, nações foram extintas, penas foram executadas por aviso dos anjos e repreensão dos profetas, enfim sentenças foram dadas e cumpridas sob justiça perfeita de Deus. De Adão e Eva até nós Deus sempre falou com a humanidade antes através de anjos e profetas e hoje através de seu filho nas mensagens ministradas nas igrejas cristãs pelo mundo.
Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria? Nm 23:19

2. Não há como escapar da justiça divina. Vs 3.a
Achar que Deus vai salvar a todos porque ele é bom segundo seus próprios conceitos não nos livra de sua perfeita eleição. Quando insistimos em viver longe de Deus, mesmo diante de sua obra e criação na verdade estamos confirmando a sentença dele de condenação.

Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. João 3:36

3. Não existem razões para desacreditar na mensagem autêntica. Vs. 3b,4
Primeiro a anunciação do próprio Deus filho, segundo confirmada pelos que lá viram, e terceiro porque Deus pai confirmou através de: sinais, milagres, maravilhas, dons do espírito, este último visível ainda hoje na igreja.

3 Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 4 E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.5 E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. 6 Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. 7 Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. 8 E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. 1Co 15:3-8
Enfim, se tivéssemos que resumir aquilo que precisamos ouvir de Jesus para nossos dias seria principalmente a grande comissão:
19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. Mt 28:19-20

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 19.11 – PIB Tabapuá – TB Hb 2:1-4 NVI

O Tratamento de Deus na santificação

Como pecadores salvos, fazemos agora parte do processo de santificação que inclui um tratamento especial de Deus para nos forjar e nos transformar em verdadeiros adoradores. Vale lembrar que o tratamento de Deus só termina quando partimos dessa terra e acontece semelhante a um diabético que precisa de injeção de insulina durante toda a vida para o manter os níveis de açúcar no sangue controlado.

Segue os três instrumentos que Deus usa para nos tratar, não necessariamente nessa mesma ordem:
A Palavra de Deus: O instrumento mais poderoso da terra, que se usado de forma errada, pode causar um resultado totalmente oposto pelo qual qual foi escrito. Através da palavra de Deus somos ministrados em cada reunião e também de forma pessoal a conhecer a vontade de Deus sobre diversas áreas de nossa vida conforme lemos nos textos abaixo:

Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. João 17:17
Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração. Hb 4:12

O Espírito Santo: A carência do distanciamento do homem de Deus chegou a tal ponto, dele não ser capaz de conseguir volta sozinho para a presença do Criador. Daí a necessidade de ao partir, Jesus ter nos deixado o consolador para fazer esse papel de companheiro e nos ajudar em nossa fragilidade ao pecado que a todo tempo nos rodeia.

Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse. João 14:26
Mas eu lhes afirmo que é para o bem de vocês que eu vou. Se eu não for, o Conselheiro não virá para vocês; mas se eu for, eu o enviarei. 8. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. – Jo 16:7-8
1Ts 5:19 – Não apagueis o espírito.

A Dor: Para alguns uma forma muito cruel de ensino. Mas imagine seu filho crescer sem dor. Seja de uma simples queda num jogo de futebol, seja da forma mais traumática que temos visto as crianças desse mundo sofrerem. A dor muitas vezes não é física: A escassez, o medo de não conseguir, de fracassar como pai, como mãe, como profissional, de não conseguir prover, de faltar. São dores que atingem o íntimo do homem.

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por
meio de Cristo. 2Co 1:3-5

Nos três, Deus nos ensina que dele vem: a direção, a provisão, a saúde, a moradia, a segurança e tudo o que precisamos para viver.
Direção – Mt 11:25 – O evangelho foi revelado aos mais simples que mesmo diante das incertezas se sentem seguros confiando em Deus.
Provisão – Não andeis ansioso por coisa alguma, quando ao comer, beber e vestir… Mt 6:31. E para aqueles que acham que foi fruto do seu trabalho, o Deus que servimos nunca parou de trabalhar para nos dar o sustento conforme Jo 5:17.
Moradia – …na casa de meu pai há muitas moradas. Jo 14:1. Mesmo que nessa terra não tenhamos uma casa própria ele nos manterá em um teto seguro enquanto houver gratidão com que já temos hoje.
Segurança – Se o Senhor não guardar a casa em vão vigia a sentinela… Sl 127:1. Não existe lugar seguro se não tivermos o cuidado protetor de Deus.

Em alguns momentos o pai conduz o filho a dor e a necessidade. Muitos milagres acontecem exatamente nesses momentos para entendermos que ele tem controle sobre tudo e sabe do que realmente precisamos. Que possamos ser gratos pois o pouco que temos já é muito, pois temos Ele em nossos corações.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 24.09 – PIB Tabapuá

O que fazer até a volta de Cristo I

Algumas pessoas vivem como se Cristo não fosse mais voltar, são displicentes quanto à vida espiritual e mostram uma desesperança tão grande, que até duvidamos se realmente essa pessoa conheceu a Cristo. Não era o caso da igreja de Tessalônica que tinha tanta certeza da volta de Cristo que alguns até queriam parar de trabalhar. E nós, que com certeza estamos mais próximos desse acontecimento, o que devemos fazer? Olhemos para os conselhos de Paulo para aqueles irmãos e façamos o mesmo:

1 Ts 4:1,2,9,10 – Não se acomode – Tudo que fazemos na vida tem que ser feito com dedicação, transpiração e disciplina. Existe uma frase interessante usada pelos atletas: no pain no gain, que significa sem dor, sem ganho. Paulo deixa claro que essa igreja está procedendo com dedicação: agradando a Deus (vs.2) e amando fraternalmente (vs. 9,10), mas exorta a crescer ainda mais. Está na hora de acabarmos com essa “moleza” em relação as coisas de Deus. Infelizmente até quando o beneficiado é a própria pessoa falta disciplina: não há comprometimento nem consigo mesmo. Saúde, vida profissional, estudos, tudo é feito e qualquer jeito.

1Ts 4:3a – Busque fazer a vontade de Deus – Qual a vontade de Deus na minha vida? Essa talvez, seja uma das perguntas mais feitas aos pastores. De uma maneira geral a resposta de Deus é simples: Santificação. Até Jesus voltar temos que nos santificar em todas as áreas de nossa vida. Em Jo 17:17 Está a dica áurea para a santificação. A verdade da palavra de Deus nos capacita a uma vida de santidade.

1Ts 4:3b-8 Evite tudo que caracterize impureza – Mas aqui o apóstolo toca em um assunto muito recorrente na atualidade que não é tratado com o devido cuidado. O que tira mais a santidade do cristão? Questões da sexualidade: visão deturpada do sexo, homossexualidade, pornografia, tudo isso é imoralidade sexual. Para isso ele recomenda controle sobre o próprio corpo e mente em relação aos desejos. No verso 6 Paulo parece tratar de pessoas que já lutam contra os vícios provenientes de algum contato anterior.

Até Jesus voltar a palavra de ordem é manter o foco nas promessas feitas por ele sem acomodação, buscando a santidade e e evitando tudo que não contribui para uma vida pura, mesmo diante de um mundo tão cheio de impureza. Quando Jesus veio a essa terra sabia que não ia ser fácil, mas ele nunca desistiu de você. E você vai desistir?

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 30.04.2017 – PIB Tabapuá (1Ts 4:1-10 NVI)

Porque vamos à igreja?

 

SérieI – Para vivenciarmos o amor de Deus

Verso 12-16 – Uma igreja motivada na crise do apóstolo anuncia o evangelho com determinação e destemor. Será necessário esperarmos o pior para que tenhamos a mesma determinação e destemor dessa igreja. Vivemos num país onde o evangelho é livre e ao invés de usarmos essa liberdade para transmitirmos o evangelho saudável. Somos criticados por não vivermos o que pregamos ou pregarmos mentiras religiosas de curas e bênçãos materiais.

II – Para vivenciar uma doutrina sã livre de mentiras

Verso 17-19 – Conhecer o evangelho e ensiná-lo de forma errada é uma atitude gravíssima que fere todo e qualquer ato de misericórdia divina. Portanto usar esse texto para defender qualquer tipo de mensagem é usar o nome de Deus para beneficio próprio. Nessa passagem Paulo menciona as pessoas que ao entregar algum seguidor de Jesus para as autoridades falavam o motivo da prisão, dessa forma anunciando a Cristo de forma gratuita, mesmo sem ter essa intenção. Imagine um soldado trazendo um seguidor de Jesus usando os termos que seguem: “Senhores, este homem está anunciando Jesus de Nazaré afirmando ser ele Filho de Deus, gerado de uma virgem, tendo morrido pelos pecados da humanidade e ressuscitou ao terceiro dia, e que está assentado a direita de Deus, tendo se tornado Senhor de tudo e de todos. Diz também que este Senhor perdoa e salva todos aqueles que creem nele. Isto é um ataque direto ao imperador, pois somente César é Senhor. Este homem é digno de morte!”

Perceba como a fala de quem acusa revela quem Cristo realmente era. Diferente de alguns pregadores que conhecendo a verdade a omitem substituindo a mensagem por alguma prática como o copo d´água abençoado ou outras mentiras que enganam os mais simples.

“Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2Co 2:17). (Veja também 2Co 4:1-2)

III – Para viver integralmente para Cristo em nossa vida.

Verso 20-21 – Entender a vida cristã é entender que mesmo sabendo da fragilidade da vida podemos ter a certeza de que vivos ou mortos já somos de Cristo. E que mesmo que sua vida seja realmente muito boa, segundo Paulo a morte para o cristão ainda é mais triunfante que a própria vida. Viver para Cristo só será de fato real quando percebermos a graça de Deus em ter escolhido você para fazer parte do seu reino.

Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos. Sl 116:15

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 23.10.2016 (Filipenses 1:12-21 NVI)