Você quer entrar?

Todos querem entrar no céu. O autor relembra a história do povo de Israel na sua saga em busca da terra prometida. Baseado nas atitudes que eles tomaram diante da promessa de Deus que estava tão próxima e muito não puderam entrar. Tiraremos algumas lições para não cairmos no mesmo erro e também ficar de fora da nossa terra prometida.

Seja participante – vs. 1

O que é ser participante? Ora alguém que participa não fica só observando, mas procura está envolvido naquilo que ele acredita. Quem torce para um time quer saber se ganhou, se classificou. Como fazer para participar do chamado celestial? Observar atentamente a Cristo, bem como fixar nele nossos pensamentos para não desviar o olhar, como fez Pedro sobre o mar. Ser participante é também compreender que mesmo tendo líderes que servimos na terra, Cristo é o nosso apóstolo e sumo sacerdote e somente ele nos entende completamente. Nossa confissão de fé, é a ele e mais ninguém. Servir a igreja de Deus é servir pessoas. Nós somos a igreja, quando não servirmos por medo ou por incapacidade estamos desonrando Deus que nos chamou e também nos capacita.

Seja fiel como Cristo e Moisés – vs. 2-6

Cristo foi fiel como filho de Deus e sua glória é incontestável assim como um construtor da casa ou obras arquitetônicas singulares vs.3. Afinal, quem é mais importante que o Dono da casa senão o filho do dono? edificador de tudo? Vs.4. Assim que vemos uma obra espetacular, a primeira coisa que fazemos é perguntar quem a fez. Quem está por trás. Moisés foi fiel na casa de Deus falando das coisas que ainda ia acontecer vs.5. Aqui vemos o exemplo de participar do chamado celestial, falando das coisas futuras. Esquecer do passado, entregar a Deus as batalhas do presente e levar a mensagem que nos traz esperança vs.6.

Mantenha seu coração firme na provação – vs. 7-12

Para manter o coração firme é preciso parar e ouvir a voz de Deus. Ás vezes ficamos confusos com tanta gente falando sobre o que é a verdade e só conseguimos verdadeiramente está firme quando ouvimos a voz de Deus. Assim como o filho conhece a voz do pai no ventre de sua mãe. Vs.7. Para manter o coração sensível a voz de Deus, precisamos observar o que aconteceu no passado com aqueles que desobedeceram mesmo diante de tantas maravilhas realizadas por Deus. Veja que o endurecimento ocorreu exatamente no meio da provação. O que acontece conosco quando estamos no meio de uma confusão e não sabemos quem ouvir vs.8-9. A ira de Deus permaneceu, pois aquele povo foi ingrato agindo como se não soubessem o caminho perfeito traçado por Deus até aquele momento e os puniu, não deixando entrar nenhum dos que saíram do Egito a não ser Josué e Calebe vs. 10-12.

Encorajem uns aos outros para que entrem juntos vs. 13-19

Falando para os novos crentes judeus o autor agora aconselha. Visto que todos agora entendem a superioridade de Cristo sobre toda a lei e os profetas ele pede para que encorajem uns aos outros no tempo que se chama hoje. A ênfase talvez esteja no fato de que as provações podem ser diferentes da época de Moisés, mas que exige de nós união para vencer juntos e não ser enganados como muitos foram naquela ocasião vs.13. A condição para se tornar realmente participante desse chamado não é se estamos firme somente hoje, mas se estaremos firme até o fim. Vs.14. Assim como naquela época, ele continua a falar e nós já sabemos o que aconteceu com quem não ouviu vs.15-16. Chegamos então a resposta que buscamos no tema. Você quer entrar? Não seja incrédulo vs.17.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 02.12 – PIB Tabapuá – TB Hb 3:1-19 NVI

O Caminho da Santificação

A santificação é o processo de transformação dos servos de Deus que acontece desde sua conversão e se encerra somente com sua morte ou com o encontro com Senhor. Nesse segundo caso com no arrebatamento da igreja. 1Co 15:52

O Texto que estudaremos hoje trata de um conselho aos judeus convertidos a Cristo, que observem nele algumas atitudes que devemos seguir também em nosso relacionamento com Deus.

  1. Se sujeitar v.5-7a – Parece uma palavra forte, mas reflete exatamente a atitude que muitas vezes temos de tomar diante do orgulho que nos rodeia de se submeter a alguém. Ora, se Cristo de submeteu a abrir mão de toda a sua glória durante 33 anos de vida. Por que temos tanta dificuldade de nos submeter às pessoas? Talvez essa seria uma boa forma de sermos mais humildes diante de um mundo cheio de pessoas que dificilmente reconhecem erros. Defeitos e posições podem e devem ser revistas, afinal somente Deus tem uma palavra final para todas as coisas, pois ele é perfeito, nós não. Aprender a perder, voltar atrás, pedir perdão, são atitudes que devem acompanhar o cristão no processo de santificação.
  2. Suportar humilhação vs. 7b-11 – O Texto fala de um Cristo que suportou a humilhação mesmo sem merecer. Sua humilhação era única forma de salvar a humanidade já condenada pelo pecado de Adão. O Sacrifício só seria perfeito se um homem perfeito, tomasse o lugar e morresse nossa morte e que ao ressuscitar pagaria completamente o preço alto de nosso pecado. Ora se nosso mestre suportou tamanha humilhação de se tornar como um de nós com as mesmas necessidades físicas e emocionais? Por que não nos achamos dignos de certas humilhações que passamos durante a vida como se não merecêssemos? Suportar humilhação justa ou injustamente também faz parte da morte de nosso eu. Cristo mesmo diante da fragilidade em seu estado humano agiu sem se envergonhar de seus novos e “fracos” irmãos humanos. vs.11.
  3. Vivenciar o reino de Deus – Sabendo de todo o sacrifício de Cristo por nós para nos salvar. Não podemos mais olhar para a vida sob nossa ótica. Temos que viver nessa terra com essa esperança e certeza em nosso coração. Não importa a humilhação, perdas ou lutas que passarmos nessa terra temos que crer que o pior Cristo já enfrentou em nosso lugar. Cabe a nós proclamar sua vinda, confiar em suas promessas e ser livre para adorar sem medo, pois sua promessa no verso 18 é de nos socorrer quando formos tentados além de nossa força.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 26.11 – PIB Tabapuá – TB Hb 2:5-18 NVI

A importância de servir a Deus com zelo

1 Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas. 2 Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, 3 Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; 4 Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade? Hb 2:1-4

As provas incontestáveis dos acontecimentos descritos na palavra de Deus nos coloca em situação de tudo ou nada.
A displicência nos leva a falhar. O que acontece quando somos displicentes no trabalho, na vida financeira, na criação dos filhos, nos relacionamentos: amizades, casamento, e no trânsito, por exemplo pode ser fatal. Pois bem o autor da carta nos recomenda: Ou levamos a sério aquilo que cremos ou iremos nos afastar. A leitura diária da bíblia e uma vida oração é o básico para evitarmos a displicência. Quando fazemos isso nosso coração começa a ser tratado em áreas que somos vulneráveis. Vs. 1
Para ter zelo na fé que professamos temos que observar alguns pontos importantes:
1. Aquilo que Deus falou através dos anjos se cumpriu na íntegra. Vs. 2
Como vimos no capítulo 1 Deus falou de diversas formas através dos anjos e de seus
representantes: Anjos e Profetas. Pessoas morreram, Reis foram empossados e destituídos, nações foram extintas, penas foram executadas por aviso dos anjos e repreensão dos profetas, enfim sentenças foram dadas e cumpridas sob justiça perfeita de Deus. De Adão e Eva até nós Deus sempre falou com a humanidade antes através de anjos e profetas e hoje através de seu filho nas mensagens ministradas nas igrejas cristãs pelo mundo.
Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria? Nm 23:19

2. Não há como escapar da justiça divina. Vs 3.a
Achar que Deus vai salvar a todos porque ele é bom segundo seus próprios conceitos não nos livra de sua perfeita eleição. Quando insistimos em viver longe de Deus, mesmo diante de sua obra e criação na verdade estamos confirmando a sentença dele de condenação.

Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. João 3:36

3. Não existem razões para desacreditar na mensagem autêntica. Vs. 3b,4
Primeiro a anunciação do próprio Deus filho, segundo confirmada pelos que lá viram, e terceiro porque Deus pai confirmou através de: sinais, milagres, maravilhas, dons do espírito, este último visível ainda hoje na igreja.

3 Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 4 E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.5 E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. 6 Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. 7 Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. 8 E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. 1Co 15:3-8
Enfim, se tivéssemos que resumir aquilo que precisamos ouvir de Jesus para nossos dias seria principalmente a grande comissão:
19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. Mt 28:19-20

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 19.11 – PIB Tabapuá – TB Hb 2:1-4 NVI

Vencendo as Tradições conhecendo a Cristo

Hoje começamos uma nova série de mensagens no livro de Hebreus.

Apesar de não haver um consenso sobre sua autoria. Sabe-se que foi escrito por algum hebreu convertido ao cristianismo que descreve de forma clara seu conhecimento sobre a lei e pede para seus compatriotas abandonarem definitivamente os costumes, que se tornaram sem valor na nova aliança.

Assim como os hebreus muitos de nós advindos de alguma religião ensinada por nossos pais, tivemos certa dificuldade em abandonar costumes e tradições que acompanharam nossa família. A questão é, se não abandonarmos de vez esses dogmas nunca conheceremos o Cristo da bíblia. Aos hebreus o escritor tocou em três temas importantes:

Verso 1-2 – Escrituras Sagradas – A forma como Deus falou no passado foi substituída pelo que Cristo falou conforme o verso 2. Portanto viver a nova aliança é ouvir o que o Filho diz sobre tudo: Culto, formas de adorar, Sacrifícios, Salvação, Mandamentos e tudo que para o judeu, era descrito de forma detalhada pelas centenas de normas, que alguns até decoraram.

1 Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.

Verso 3 – A Superioridade de Cristo sobre os anjos e sua presença desde a criação – A importância de entendermos a soberania de Deus sobre toda e qualquer criatura nos faz confiar no seu controle sobre todos, inclusive na história, que foi iniciada por ele e finalizará nele. Ele é o Alfa e ômega. O respeito pelos líderes do passado e pelos atuais devem existir, mas ultrapassar isso é perigoso pois abre precedente para a idolatria. Líderes que não reconhecem a superioridade Cristo não devem ter nossa atenção. A ação de Jesus descrito no verso 3 de alguém saiu do seu trono e agora retorna, demonstra sua autoridade diante de um Deus pai que o observou o tempo todo, seu sacrifício pelos pecadores.

3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas, 4 tornando-se tão superior aos anjos quanto o nome que herdou é superior ao deles. 5 Pois a qual dos anjos Deus alguma vez disse: “Tu és meu Filho; eu hoje te
gerei”? E outra vez: “Eu serei seu Pai, e ele será meu Filho”? 6 E ainda, quando Deus introduz o Primogênito no mundo, diz: “Todos os anjos de Deus o adorem“. 7 Quanto aos anjos, ele diz: “Ele faz dos seus anjos ventos, e dos seus servos, clarões reluzentes”. 8 Mas a respeito do Filho, diz: “O teu trono, ó Deus, subsiste para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do teu Reino. 9 Amas a justiça e odeias a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, escolheu-te dentre os teus companheiros, ungindo-te com óleo de alegria”. 10 E também diz: “No princípio, Senhor, firmaste os fundamentos da terra, e os céus são obras das tuas mãos. 11 Eles perecerão, mas tu permanecerás; envelhecerão como vestimentas. 12 Tu os enrolarás como um manto, como roupas eles serão trocados. Mas tu permaneces o mesmo, e os teus dias jamais terão fim”.

Verso 13-14 – O Papel dos anjos – Os dois últimos versos deixam claro que os anjos são o exército de Deus que atuam segundo as suas ordens. Eles são enviados em momentos específicos para ministrar sobre os eleitos.

13 A qual dos anjos Deus alguma vez disse: “Senta-te à minha direita, até que eu faça dos teus inimigos um estrado para os teus pés”? 14 Os anjos não são, todos eles, espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação?

Por tanto, Assim como os Hebreus, precisamos entender de forma clara o que cremos, abandonando tudo aquilo que não faz mais sentido e observando de perto os princípios ensinados por Jesus em suas palavra. Que Deus nos ilumine para que possamos separar doutrina de homem da soberana mensagem de Deus.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 29.10 – PIB Tabapuá – TB Hb 1:1-13 NVI

O que preciso para servir a Deus

Assim como na adoração, para servir a Deus também não existem barreiras. Hoje veremos que o serviço de Deus não está ligado a nenhum cargo que exercemos na igreja, mas à quanto o amamos e somos gratos a ele. Retiramos então algumas  recomendações desse trecho da carta de Pedro em 1Pe 4:7-11.

O fim de todas as coisas está próximo. Portanto, sejam criteriosos e sóbrios; dediquem-se à oração. 8. Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados. 9. Sejam mutuamente hospitaleiros, sem reclamação. 1Pe 4:7-9

 1. Tem que ser uma pessoa de Deus – Apesar de sabermos que existem muitos que trabalham para Deus, mesmo não tendo tido real encontro com ele, fato esse comprovado somente pelos seus frutos. Vemos nessa passagem que para fazer a obra de Deus além não esperar nada em troca temos que ser: Criteriosos e pessoas de oração. A oração resolve muitas questões de nossa natureza, sempre desejosa de benefícios por alguma atividade que realizamos. Através dela reconhecemos nossa fraqueza e encontramos força para alcançar digamos, o próximo estágio, que é amar incondicionalmente sendo capaz de receber nossos semelhantes em nossas casas através da hospitalidade. Oração, amor ao próximo e hospitalidade são características daqueles que almejam fazer a obra de Deus com dedicação.

Cada um exerça o dom que recebeu para servir aos outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas. 11. Se alguém fala, faça-o como quem transmite a palavra de Deus. Se alguém serve, faça-o com a força que Deus provê, … 1Pe 4:10-11a.

2. Você receberá um dom para usar em benefício dos outros. 1Pe 4:10-11a | Ef 2:8

Importante saber que o dom é dado por Deus, assim como a salvação, não tem nenhum mérito humano. Apesar de Deus usar alguns talentos pessoais o dom é dado para benefício. 7 A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum. 1Co 12:7. Em todos os dons é possível usá-lo para abençoar pessoas, pois ele foi dado para o benefício da comunidade dos santos. Pedro separa os dons em duas classes e recomenda dois critérios importantes.

Dons relacionados a fala: mestre, pastor, missionário, pregador, devem ser de acordo com o oráculo de Deus. A recomendação é falar somente o que a palavra diz sem acréscimos pessoais. Isso não limita o pregador, por exemplo, de usar uma didática diferente, mas sempre com o direcionamento e o fim de tudo na mensagem bíblica.

Dons relacionados ao serviço: Contribuição, Ajuda, Visitação, Socorro, Misericórdia, auxílio. Todos esses dons exigem esforço físico, onde o cansaço e fadiga podem desestimular alguns membros com os têm, por isso ele recomenda que o façam na força de Deus que trarão ao invés de cansaço, prazer. Alguém certa vez disse a uma cuidadora de pessoas com Hanseníase, que tem em uma de suas tarefas limpar feridas: – Não faria isso por dinheiro nenhum. E ela respondeu: Nem eu!

…de forma que em todas as coisas Deus seja glorificado mediante Jesus Cristo, a quem sejam a glória e o poder para todo o sempre. Amém. 1Pe 4:11b

3. Entender que tudo que você faz deve ser para servir a Deus. 1Pe 4:11b | 1Co 10:31

Algumas pessoas fazem essa pergunta: Para servir a Deus preciso sair do trabalho? Claro que não. O melhor lugar para servir a Deus é no seu trabalho. Na realidade é lá quem realmente você é. Suas atitudes como profissional e sua reputação é formada em como você trata as pessoas e realiza sua atividades. Assim como José que esteve no Egito para servir à Faraó. Seu profissionalismo e principios o levaram ao cargo mais alto do Egito. Muitos cristãos perdem a oportunidade de servir a Deus achando que seu emprego ou profissão o impedem disso. Para refletir: Se meu emprego não permite servir a Deus aos meus colegas de trabalho o que estou fazendo lá?

Além do mais servir a Deus é uma honra, pois nossa eleição nos torna devedor do amor de Deus. Quando dispomos de tempo, saúde e talento para servir e mesmo assim não fazemos estamos negligenciando a obra.

Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. 1Co 10:31

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 22.10 – PIB Tabapuá – TB 1Pe 4:7-11 NVI