As lições de uma viagem missionária

A viagem missionária de Jonas é uma das mais belas histórias do amor de Deus pelo ser humano. Existem cristãos que criticam Jonas pela sua desobediência, mas imagine você no lugar dele. Tendo que pregar para um dos povos mais cruéis daquela época? Qualquer um pensaria duas vezes em ir lá, pois como nós Jonas era humano e para ele, aquele povo não merecia tamanho amor. Para lembrar disso vejamos algumas lições importantes que podemos tirar dessa história.

Verso 1-2  – A urgência e a necessidade de pregarmos. A maldade subiu até Deus. Até que ponto podemos imaginar qual seria o limite para Deus tomar a decisão de destruir uma cidade. O fato ocorreu na bíblia no mínimo três vezes. Uma em Gn 6:5-11, quando Deus resolve destruir a terra, em Gn 13:13 nas cidades de Sodoma e Gomorra e aqui nesse texto. Em todos os casos a maldade chegou a níveis extremos levando Deus a mandar destruir totalmente. É nesse contexto que vivemos num mundo onde somente o amor de Deus é capaz de nos dar esperança.

3 – É impossível se esconder de Deus e fugir dele é inútil, mesmo investindo seu tempo e seus bens ele não pode ser ignorado. Esse é o amor irresistível de Deus por você.

4 – o Senhor fez cair a tempestade. Ora que Deus é esse que faz parar a tempestade? Talvez tenha sido essa a indagação dos amigos de viagem de Jonas, bem semelhante à pergunta de Pedro ao ver Cristo acalmar uma tempestade. Cristo é Deus. Sl 89:9 | Mt 8:24-27

5 – Dormir profundamente diante de tamanha tempestade demonstrava o quanto Jonas confiava em Deus e não tinha medo da morte. Compare com o desespero dos discípulos no barco onde Jesus estava dormindo também profundamente.

6-8 – Clame ao seu Deus. Quantos já pediram para nós clamarmos ao nosso Deus e mesmo assim as vezes não nos damos conta do quanto as pessoas confiam em quem cremos e de quem realmente ele é. E depois tê-lo visto em ação o reconheceram. A busca da origem de Jonas pelos viajantes demonstra o desejo de conhecer o homem que desobedeceu a Deus.

9-10– Quem é você? A pergunta a Jonas sobre sua origem e sua resposta reafirmam sua fé. Pois não perdeu a oportunidade de declarar a sua fé no Deus altíssimo. Falar do Deus que o escolheu. Assim somos nós sem ele não somos nada.

11 – O que temos que fazer? Compare essa pergunta à dos discípulos quando Jesus os perguntou se eles queriam ir embora Jo 6:68. Só podemos encontrar a Cristo quando nos esvaziarmos de si mesmo e nossos conceitos humanos sobre Deus.

12-15 – Percebam que a atitude de continuar remando, parece muito quando não queremos ouvir Deus, até que paramos de remar e percebemos que não tem outra saída senão fazer o que ele nos diz. Matar um inocente, afinal quem nesse mundo acharia que a morte de um inocente salvaria a humanidade? Somente quando obedecemos saberemos quem ele é.

16 – A missão só está completa quando os homens se curvam diante de Deus.

17 – Três dias como Cristo após a Cruz foram suficientes para que mensagem fosse entregue e assim pudessem chegar até nós. Em Mt 12:38-42 – Cristo confirmou o fato desmitificando qualquer especulação de que a história não fosse real.

Pois assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, o Filho do homem também o será para esta geração. Lucas 11:30 | Os homens de Nínive se levantarão no juízo com esta geração e a condenarão; pois eles se arrependeram com a pregação de Jonas, e agora está aqui o que é maior do que Jonas”.Lucas 11:32

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 18.02.18 – PIB Tabapuá – TB Jn 1:1-17 NVI

As virtudes e deveres do Salvo em Cristo

Vejamos agora como o autor defende àqueles que nasceram de novo e a certeza de servir a um Deus imutável.

9 Amados, mesmo falando dessa forma, estamos convictos de coisas melhores em relação a vocês, coisas próprias da salvação. 10 Deus não é injusto; ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que demonstraram por ele, pois ajudaram os santos e continuam a ajudá-los. 11 Queremos que cada um de vocês mostre essa mesma prontidão até o fim, para que tenham a plena certeza da esperança,

Verso 9-11 – Perceba agora como o autor volta seus olhos agora para aquele salvo que foi redimido e que cresce dia-a-dia no processo de santificação e se aperfeiçoa progressivamente. Agora ele reforça para esse grupo que conseguem ser renovados pelo espírito e não mais pelos rituais que o outro grupo não consegue largar. Fala ainda do trabalho que eles desenvolvem, às vezes na solidão para agradar a Cristo e ajudar irmãos que ainda são novos na fé. O autor ainda comenta que a certeza da salvação se dá pela perseverança nEle, mesmo diante das adversidades.

12 de modo que vocês não se tornem negligentes, mas imitem aqueles que, por meio da fé e da paciência, recebem a herança prometida.

Verso 12 – A negligência maior do Cristão é não guardar os princípios da palavra de Deus com medo do que as pessoas possam falar. Precisamos sempre de alguém de renome que fale por nós. Quando na verdade pensar diferente dos outros já deveriam ser um trunfo para os que foram salvos. Pensar diferente não significa impor nosso pensamento, mas demonstrá-lo com intrepidez e segurança de que realmente vivemos a única esperança desse mundo perdido. Imitar os bons exemplos da fé, mesmo que ele não seja “famoso” demonstra bom senso e mantem viva a fé atuante e relevante para nossas vidas.

13 Quando Deus fez a sua promessa a Abraão, por não haver ninguém superior por quem jurar, jurou por si mesmo, 14 dizendo: “Esteja certo de que o abençoarei e farei seus descendentes numerosos”. 15 E foi assim que, depois de esperar pacientemente, Abraão alcançou a promessa. 16 Os homens juram por alguém superior a si mesmos, e o juramento confirma o que foi dito, pondo fim a toda discussão. 17 Querendo mostrar de forma bem clara a natureza imutável do seu propósito para com os herdeiros da promessa, Deus o confirmou com juramento, 18 para que, por meio de duas coisas imutáveis nas quais é impossível que Deus minta, sejamos firmemente encorajados, nós, que nos refugiamos nele para tomar posse da esperança a nós proposta.

Verso 13-18 – Aqui vemos a soberania do Deus que servimos e seu caráter imutável comparada a pequena e frágil ética humana, que precisa de juramentos ou contratos para manterem seus tratados e acordos devidamente validados. Esse talvez seja o maior exemplo da contaminação humana pelo pecado, que não consegue sustentar nem decisões para beneficio próprio. Deus ainda faz questão de fazer o juramento para mostrar que não é como nós que não os cumpre. O autor ainda reafirma que a mentira não faz parte de sua essência e não deve ser tratada com tanta naturalidade como às vezes fazemos. Jo 8:44

19 Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura, a qual adentra o santuário interior, por trás do véu, 20 onde Jesus, que nos precedeu, entrou em nosso lugar, tornando-se sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.

Verso 19-20 – Por último vemos mais uma demonstração da anulação total dos rituais judaicos de purificação de pecados. A informação de que nossa ancora da alma agora está somente em Cristo, único capaz de entrar no santo dos santos de uma vez por todas para nos dá vida.

  1. Devemos buscar coisas melhores (Fp 4:8-9) e não ficar achando brechas para participar daquilo que o mundo diz que é bom;
  2. Se temos um Deus que é perfeito, que não mente e cumpre seus juramentos por que acreditar em falsas promessas que sabemos não serão cumpridas;
  3. Ter uma âncora significa está firme mesmo em meio ao mar revolto da vida.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 11.02.18 – PIB Tabapuá – TB Hb 6:9-20 NVI

Relembrando o que Cremos

Visto que o autor de Hebreus tenta relembrar temas importantes para um cristão convertido,vale ressaltar os princípios elementares de nossa fé.

Portanto, deixemos os ensinos elementares a respeito de Cristo e avancemos para a maturidade, sem lançar novamente o fundamento do arrependimento de atos que conduzem à morte, da fé em Deus, 2 da instrução a respeito de batismos, da imposição de mãos, da ressurreição dos mortos e do juízo eterno. Assim faremos, se Deus o permitir.

Verso 1-3 – Arrependimento – Não mais obras vazias do legalismo e religiosidade, mas voltar atrás para se obter um coração regenerado |  somente em Deus e não em outras coisas, objetos ou pessoas Veja Ef. 4:4-7| Batismo único por Cristo e não mais somente uma lavagem cerimonial antes da um liturgia agora vazio | Imposição de mãos antes sobre o animais que substituia o pecado, mas agora em Cristo onde Deus Pai impõe as mãos sobre Cristo o cordeiro que tira o pecado do mundo | Ressurreição somente na segunda vinda e não mais conforme era esperado pelos Judeus para um governo terreno | O julgamento após o fim dos tempos onde todos deverão comparecer diante de um juiz perfeito.

Ainda sobre os rituais podemos tirar grande lição na sabedoria de Deus não deixando que nenhuma relíquia permanecesse de pé para evitar a idolatria, enraizada em todos os homens. A destruição do templo de Jerusalém por Nero, O destino da Arca da Aliança e o paradeiro do corpo de Moisés foram alguns dos objetos que poderiam fazer voltar a idolatria. Imagine então reconstruir o templo e aplicar os rituais como os antigos é no mínimo estranho.

Ora para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, 5 experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir,6 e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento; pois para si mesmos estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública.7 Pois a terra que absorve a chuva, que cai freqüentemente e dá colheita proveitosa àqueles que a cultivam, recebe a bênção de Deus. 8 Mas a terra que produz espinhos e ervas daninhas, é inútil e logo será amaldiçoada. Seu fim é ser queimada. (apostasia)

Verso 4-8 – Perceba que os atos de um apóstata é muito parecida  com a de um cristão redimido, receberam a iluminação por um tempo, participaram do mover do espirito santo. Experimentaram a palavra e testemunharam o poder de Deus. Por isso ele se torna impossibilitado de se redimir pois reconhece que não pode se enganar nem enganar os outros por tanto tempo.

Nossa limitação de servo não nos permite viver tentando descobrir quem é salvo e quem não é. Pois a eleição de Deus é tão perfeita que podemos conhecer alguém muito espiritual, mas que consegue disfarçar muito seu pecado oculto. Portanto, devemos viver segundo a forma como Deus nos chamou e deixar com ele esse julgamento, pois conforme o verso 10 ele não é injusto. A passagem trata de pessoas que até experimentaram mais nunca o conheceram de verdade conforme texto abaixo.

Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. 1 João 2:19

Que Cristo nos dê a sabedoria para viver a fé Cristã  nos seus princípios elementares  deixando com Ele sua escolha perfeita da salvação.

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 04.02.18 – Na PIB Tabapuá – TB Hb 6:1-8 NVI

A Maturidade de Cristo também nos constrange

Nessa passagem vemos o autor de Hebreus mostrando como Cristo amadureceu durante sua vida na terra e nos deixou lições importantes para que também não deixemos de amadurecer em nossa vida cristã.

Verso 6-10 – O exemplo de Cristo nos inspira a fazer o mesmo e desfrutarmos de sua exemplar vida na terra.

Verso 7Orações e Súplicas – Quantos de nós não desfrutamos uma vida de oração como a de Cristo, que teoricamente não tinha necessidade de fazer. Sua formação humana fez com que ele não abrisse mão de conversar com seu pai o tempo todo. O que nós também deveríamos fazer. Sua  Reverente submissão nos leva a aceitar a vontade de Deus sendo essa a melhor forma de se submeter a ele, pois ele sabe de tudo e mesmo que pra nós não esteja claro, para ele sempre está. Temos de parar de achar que sabemos o que é melhor pra nós e nos desesperar quando as coisas perdem o controle. Veja os textos abaixo:

Orai sem cessar  1Ts 5:17 | com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos, Ef 6:18E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas. Hb 4:13.

Verso 8 – Aprendeu a obedecer no sofrimento – Impressionante como nós demoramos a aprender, mesmo diante do sofrimento. Cristo deixa a dica mais valiosa de todas. Se é impossível viver nessa terra sem sofrimento aprendamos com ele.

Verso 9 e 10 – Uma vez aperfeiçoado – Cristo na sua maior idade sabia exatamente o que tinha de fazer e o motivo de está na terra. Muitos de nós chega ao final da vida e não sabe o motivo de está aqui. Assim como Cristo temos que aproveitar cada momento da vida para nós aperfeiçoar e caso ache que não há mais tempo lembre-se que, enquanto há vida há esperança. Se Cristo se tornou sumo sacerdote sob uma ordem única sem inicio ou fim, nós podemos deixar um legado para todos que nos conhecem de alguém que guardou a fé, mesmo em meio as lutas desse mundo.

Verso 11– Não podemos ser tão lentos no entendimento das coisas de Deus. Os planos de Deus estão muito claros para que tenhamos sempre que voltar aos princípios do que aprendemos. Seria com uma criança voltando à alfabetização.

Verso 12 – Já devessem ser mestres. A reclamação do autor é a de que muitos de nós deveríamos está ensinando outros ao invés de estarmos sempre sendo ensinados na mesma coisa. Questões que deveriam ser básicas para nós como a Salvação por fé, um mediador Cristo, o favor imerecido, escritura como única e absoluta regra nas questões espirituais, e a glória de Deus evidenciada em sua soberana e perfeita vontade. Questões já batidas sobre namoro cristão, dízimo, mentira, vícios, casamento, devocional deveriam ser natural na vida dos cristãos.

Verso 13 e 14 – Quem toma o alimento sólido já tem conhecimento para tomar decisões acertadas na vida. Temos que tentar acertar antes de pedir ajuda. Exercício constante deveria ser um hábito. Discernir o bem e o mal só é possível para aquele que exercita sua fé com oração e a leitura da palavra de Deus.

E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo; Ef 4:11-13

  1. Se aprendermos a depender mais de Deus, experimentaremos uma vida mais leve;
  2. Orar mais, nos ajudará nos momentos de grande decisão na vida;
  3. Temos que aprender a não errar mais nas mesmas coisas;

Pr. Marcelo Ribeiro

ESBOÇO da Mensagem – Ministrada em 28.01.18 – Na PIB do Planalto Caucaia, no culto da manhã e PIB Tabapuá – TB Hb 5:6-14 NVI